LUÍSA COMPLETA 1 ANINHO

No próximo domingo (25) a Luísa completará um ano de vida. Ela já não é mais aquele bebê super frágil, que só dormia, chorava e mamava.

Hoje ela aponta pedindo as coisas, tem um dentinho, fica de pé apoiando nos móveis, já sabe o que é um abraço, adora distribuir beijos babados e sabe quando os pais precisam de carinho. Ok, às vezes ela puxa a minha barba, dói bastante, mas penso que deve ser muito amor acumulado nesse serzinho.

Também não sou aquele pai de um ano atrás. Sabe quando você entra no carro de um amigo maluco e ele diz: “Com emoção ou sem emoção?”. Tornar-me pai foi dar muito mais emoção pros meus dias.

Descobri o que é medo de verdade quando a Luísa ficou bem doente pela primeira vez. Aprendi o que é êxtase de verdade quando ela falou papai pela primeira vez. Aprendi o que é amor de verdade quando cheguei cansado de viagem e ganhei um abraço espontâneo dela. Também descobri o que é sangrar de verdade quando ela enfiou o dedinho dentro do meu nariz, lá no fundo, e quase perfurou o meu cérebro.
Ser pai é elevar os sentimentos a um nível que você nem imaginava que era possível. Isso, de certa forma, o torna bem mais forte.

Escutei mais de uma vez amigos comentando: “Espera a sua filha começar a andar e falar, daí você vai viver mesmo a paternidade”. Eu escolhi não esperar essa fase pra viver a paternidade (essa é a melhor dica que eu daria para um pai de primeira viagem) e esse foi o ano mais intenso, emocionante e feliz da minha vida.

Obrigado filha, por me tornar uma pessoa melhor. Obrigado minha esposa, por ter topado viver uma vida com emoção ao meu lado. Feliz um ano de uma vida linda pela frente, minha filha.

Por Fernando Strombeck