JORNADA DA CAMA COMPARTILHADA

Você é casado e reclama que a sua mulher domina todo o seu espaço na cama? Espera só os filhos nascerem. Você vai agradecer se sobrar um travesseiro murcho pra você.
Desde de as primeiras semanas de vida da nossa filha, eu e a minha esposa optamos por compartilhar a nossa cama com ela. Pois é, os pais gastam uma grana pra decorar o quarto do filho, compramos berço, deixam tudo bonitinho e, no final, o filho se sente melhor dormindo agarradinho com os pais. Hoje tem dias que a Luísa dorme a noite toda no quarto dela e tem dias que ela dorme metade da noite na nossa cama.

Quando eu falo em dormir na nossa cama, eu não falo em divisão iguais de espaço. O correto seria 40% da cama pra mim, 40% para a minha esposa e 20% para a Luísa. Rááá! Até parece. Seria um sonho. A minha esposa abraça a Luísa e juntas dominam 70% da cama. 15% vira uma barreira de segurança, para eu não atingir a Luísa de madrugada. Sobra apenas 15% para mim. Com sorte, recebo um cobertor de misericórdia.

Às vezes eu acordo de madrugada e fico observando a Luísa dormir. Tão linda, pura e indefesa. Pelo menos até ela me acordar com uma cabeçada na boca três horas da manhã. Tem dias que eu acordo com uma dedada no nariz. Às vezes com um puxão de barba. A menina não tem dó e nem piedade, adora ir xeretar no meu território. E eu todo preocupado pra não me virar e acertar ela de madrugada.
Um amigo perguntou por que eu não faço uma barreira de travesseiros no meio da cama. Não sei se é uma boa ideia. Se eu fizer isso, como que a minha filha vai me acordar de vez em quando com beijos e abrindo aquele sorrisão de derreter qualquer pai babão? Esses são os melhores e inesquecíveis dias. Acho que vale o risco de tomar uns tapas às vezes. =)

Por Fernando Strombeck

-