CONVENCENDO OS AMIGOS A TEREM FILHOS

Eu sou um dos primeiros a se tornar pai no meu círculo de amizades. Por conta disso, vira e mexe eu me pego comentando com algum amigo: “E aí? Quando vem os filhos? Demorou hein?”. Porque é assim que funciona. Quando você vira pai, você sai por aí tentando convencer todo mundo a virar pai também. Não importa quem seja, qual a sua idade, fase no relacionamento. Até o meu cachorro eu já tentei apresentar pra uma cadela lá da minha rua. O importante é trazer mais membros para o seu clubinho (Claro que devemos tomar cuidado para não falar essas coisas em momentos inapropriados).

Sabe quando dizem que casamento é igual piscina de água fria, porque o primeiro que entra diz:
– Vem que tá quentinho.
Ter filho é quase isso. A diferença é que nessa piscina você tem que mergulhar dando barrigada, enfrentar vários tubarões, às vezes se afogar e, no final, a temperatura da água será o menor dos seus desafios.

Pior que por mais que você já tenha um filho, sempre vai aparecer alguém que já tenha dois perguntando:
– E aí, quando vocês vão ter o segundo?

Mas sabe por que a gente pergunta tanto isso para quem não tem filhos? Primeiro, porque é legal ver as reações deles. Alguns abaixam a cabeça, outros ficam pensativos por um tempo, outros mudam de assunto rapidamente. São tantas emoções juntas, que é até bonito de ver. Sem maldade. Segundo, porque a gente quer ter logo com quem compartilhar esse turbilhão de transformações. Alguém que realmente entenda o que estamos passamos. Terceiro, porque é legal lembrar daquela época que também tínhamos medo, que também ficávamos paralisados quando tocavam no assunto, mas no reservado a gente se pegava pensando: “Será que vamos ter um menino ou uma menina? Deve ser muito bom!”. Ou quando olhávamos pra uma criança brincando e pensávamos: “Será que o meu filho vai ser sapeca assim?”. Rola uma nostalgia nos pais.

Claro que tem sempre um amigo que não sabe brincar. Logo rebate a minha pergunta sobre filhos com um: “Espera chegar a fase dos namoradinhos da sua filha pra você ver”. Eu travo, fico paralisado, abaixo a cabeça e mudo de assunto rapidamente. Poxa, acho apelação isso! Sacanagem.

Não adianta, com a paternidade sempre vem o medo, as incertezas, a insegurança… mas relaxe, tudo isso sempre será atropelado por um amor inexplicável. É o que vale a pena.

Por Fernando Strombeck

-